Allo Consultoria - projeções econômicas para 2021

O ano de 2021 inicia após um período de grande instabilidade e incerteza. Essa realidade ainda não passou, no entanto, já é possível visualizar uma pequena estabilização e, assim, fazer algumas análises. Como especialistas, nós da Allo Consultoria Empresarial entendemos que as informações são fundamentais para o processo de tomada de decisão, por isso, preparamos este artigo em que trazemos algumas projeções econômicas para 2021.

Pela natureza projecional, pode haver variações ao longo do ano, porém, conhecer os movimentos econômicos de maneira antecipada ajuda a criar cenários que auxiliam a antever as necessidades e atitudes que devem ser tomadas para garantir o gerenciamento de risco.

Imagem de capa: pressfoto – www.freepik.com

Ajuste do salário mínimo

Uma das projeções econômicas para 2021 trata do salário mínimo onde, inicialmente, era previsto o valor de R$ 1.088; inclusive, essa foi a proposta oficial do Governo Federal que consta na LDO — Lei de Diretrizes Orçamentárias.

No entanto, diante das estimativas do INPC — Índice Nacional de Preços ao Consumidor que tem a sua previsão de 4,10% em 2021, se o valor de R$ 1.088 fosse confirmado, o ajuste do salário mínimo poderia ficar novamente defasado ao longo do ano, tendo em vista que ainda estamos em um cenário de instabilidade econômica.

Com isso, no início da noite de 30 de dezembro de 2020, o Presidente da República utilizou as redes sociais para informar que iria assinar a Medida Provisória (MP) que fixou o salário mínimo em R$ 1.100 a partir de 1º de janeiro de 2021.

Talvez você esteja se perguntando: o que o ajuste do salário mínimo tem a ver com a minha empresa? A resposta é: tudo! O fato é que o aumento do salário é de 5,26% e isso passa a ser um dos balizadores para o ajuste salarial nas empresas, bem como nos acordos coletivos de dissídio. Isso é um indicador para que os empreendedores e gestores tomem essa informação para começarem o planejamento financeiro e elaboração do orçamento anual.

Taxa Selic

Allo Consultoria - Taxa Selic
Tendência de elevação da taxa Selic

Como projeções econômicas para 2021 é fundamental entender o movimento da taxa Selic — Sistema Especial de Liquidação e Custódia, afinal, ela é considerada o termômetro da economia, em que orienta as políticas de juros praticadas no mercado brasileiro, por isso, também é conhecida como a “taxa básica de juros”.

Com o seu fechamento em 2% no ano de 2020, a Selic apresenta a tendência de elevação em 2021, resultado do impacto do aumento da inflação acumulada nos últimos períodos. Sendo assim, a Selic pode chegar a 3,13% neste ano.

Mesmo com essa projeção de elevação da taxa básica de juros, as empresas ainda podem contar com um cenário favorável quanto as políticas de crédito, pois, embora mais alta, o patamar em 3% está entre as menores do ciclo histórico.

Outro ponto que deve ser considerado nessa tendência de elevação da Selic são os investimentos indexados por ela e pelo CDI — Certificado de Depósito Interbancário, muito aplicados no segmento de renda fixa.

IPCA

Sendo o parâmetro para a medição da inflação, o IPCA — Índice de Preços ao Consumidor Amplo encerrou 2020 próximo dos 4,39%, conforme foi informado no último Boletim Focus do ano passado. Nas projeções econômicas para 2021 os analistas do Banco Central projetam que o IPCA fique em 3,34%.

Mas afirmar o movimento da inflação é arriscado, partindo do princípio que ainda estamos em oscilações de consumo, onde a oferta e a demanda tem variado nos últimos meses, fruto do alto nível de desemprego e a situação de pandemia pela Covid-19.

Esse índice é muito importante para que as empresas estruturem a sua política de preços para a comercialização de bens e serviços, além de criar estratégias de posicionamento no mercado com base no preço e valor percebido.

PIB

Após uma grande queda em 2020, em que o ano encerrou com o PIB — Produto Interno Bruto (soma de bens e serviços produzidos) em queda de -4,40%, a recuperação tem sido lenta e gradual, onde a maior baixa do período foi registrada em junho de 2020, atingindo -6,54%.

Para o longo de 2021 é esperado que o PIB recupere parte do que foi perdido em 2020 e atinja o patamar de 3,46%. Isso representa uma esperança para as empresas, afinal, é uma sinalização da retomada da economia, mesmo que seja em um nível mais lento, o que incentiva os empresários a voltarem a investir na produção.

Um bom reflexo da perspectiva do aumento do PIB é o fato de estimular a abertura de vagas de emprego. No entanto, esse movimento deve ocorrer de maneira gradual e acompanhando o nível de retomada da economia diante do caos que foi o ano de 2020.

Câmbio

Allo Consultoria - Câmbio

Quanto a previsão do câmbio (R$/US$), espera-se que fique em torno de R$ 5,00, ou seja, apresenta uma leve queda em comparação à média de fechamento em 2020 (R$ 5,14). Nesse sentido, a queda do câmbio não ocorreu conforme desejado, indicando que a moeda americana continuará valorizada em relação ao Real.

Esse cenário estimula as exportações que, em consequência, cria a tendência de elevação dos preços dos bens de consumo no mercado interno, afinal, maior parte da produção tende a ser vendida no exterior. O que sobra no território nacional acaba por gerar desequilíbrio na relação oferta vs. demanda, ou seja, um cenário em que a produção é menor que as necessidades de consumo.

As projeções econômicas para 2021 são essenciais para a tomada de decisão em que o ambiente tende a ser instável. Além disso, proporciona melhor visibilidade do cenário macroeconômico — um elemento fundamental para elaborar o planejamento estratégico.

Quer usar essas informações a favor do seu negócio? Então fale hoje mesmo com os especialistas da Allo Consultoria Empresarial! Podemos te ajudar com o planejamento estratégico da sua empresa para alcançar melhores resultados!

Rafael Lima

Autor Rafael Lima

Administrador, atuação com foco em gestão, planejamento e finanças — CRA-RJ 20-88222. Fascinado pelo mundo empresarial, finanças e economia. Redator e produtor de conteúdo web da Allo Consultoria Empresarial.

Mais artigos de Rafael Lima

Deixe o seu comentário