Allo Consultoria - gestão de mudanças

O mercado corporativo é altamente volátil, onde a única constante é a certeza de que as mudanças são inevitáveis. No entanto, é importante não confundir essa realidade com os imprevistos, de modo que, a gestão de mudanças é um dos principais fatores que diferencia esses dois elementos.

Ter o controle e planejamento sobre a gestão de mudanças permite que a empresa atue de maneira proativa, transformando as fraquezas em forças e as ameaças em oportunidades. Inclusive, você pode (e deve) utilizar a Matriz SWOT em todas as fases desse processo.

Veja esse post do nosso Instagram para saber um pouco mais sobre a Matriz SWOT:

Neste artigo te levaremos a entender o funcionamento da gestão de mudanças, os princípios e efeitos envolvidos nessa atividade que, devido a sua premissa, é quase que contínuo, e como a sua empresa pode evoluir com a sua correta aplicação.

Leia também:

O que é a gestão de mudanças?

De forma simples, a gestão de mudanças é o processo estruturado de planejamento, o ordenamento de atividades e a mobilização de pessoas em prol de um objetivo comum diante das alterações do ambiente interno ou externo da organização.

Além disso, para alcançar êxito na gestão de mudanças é necessário envolver todas as camadas do negócio e, para isso, é fundamental desenvolver um bom trabalho de comunicação, escolhendo os canais adequados para evitar a ocorrência de ruídos na transmissão, recebimento e feedback (retroalimentação) da mensagem.

No que diz respeito às forças impulsionadoras de mudanças, elas podem ser:

  • Tecnológicas;
  • Choques econômicos;
  • Competição;
  • Política nacional e internacional.

O fato é que, qualquer mudança, mesmo as que sejam para melhoria, desperta nas pessoas uma certa resistência, afinal, afeta diretamente o status quo. Por esse fato é que se faz tão importante a implementação permanente de uma estrutura de gestão de mudanças nas empresas.

Os modelos de gestão de mudanças

Embora muitos não saibam ou não entendam, a gestão de mudanças não é algo improvisado, empírico ou sem bases sólidas. Pelo contrário, esse tema é levado tão a sério que, inclusive, há dois modelos conhecidos para essa atividade. Vejamos a seguir!

Modelo de Lewin

Criado por Kurt Lewein esse modelo é de fácil compreensão e propõe três etapas para que as mudanças sejam bem-sucedidas:

  • Descongelamento — é o momento em que se toma conhecimento da necessidade das mudanças, despertando o medo e a perda do status quo. Nessa fase os responsáveis pela gestão de mudanças devem agir com proposições que reduzam as forças restritivas e de resistência;
  • Movimento — é a fase de implementação das mudanças e o reforço das perspectivas futuras. Essa etapa exige critério e maior emprego da função controle, pois, se necessário, é nessa fase que são implementadas as correções;
  • Recongelamento — após a implementação das mudanças cabe aos responsáveis pela gestão de mudanças promover a estabilidade do ambiente, fazendo que as mudanças implementadas sejam as novas regras da organização, ou seja, criar um novo status quo, gerando maior segurança aos afetados pelo processo.

Modelo de Kotter

Este modelo de gestão de mudanças foi criado por John Kotter e é um dos métodos mais utilizados pelas empresas, tendo em vista que os seus pilares geram engajamento em todas as áreas do negócio. Veja aplicá-lo:

  • Estimule o senso de urgência;
  • Mova as pessoas da zona de conforto;
  • Crie grupos defensores da mudança que sejam capazes de influenciar os demais colaboradores;
  • Tenha uma visão de futuro e leve as pessoas a visualizarem os resultados futuros;
  • Tenha a comunicação como aliada para promover a compreensão das metas estabelecidas;
  • Reforce a confiança e o otimismo levando o grupo e perceber que as atribuições podem ser realizadas;
  • Crie conquistas em curto prazo, afinal, isso ajuda os colaboradores a visualizarem os resultados dos seus esforços na atuação das mudanças, o que aumentará a sua dedicação.

Você pode perceber que o Modelo de Kotter é mais completo que o Modelo de Lewin, porém, a adoção de um não inviabiliza a aplicação do outro. Pelo contrário, é comum a combinação de ambos.

Quem faz gestão de mudanças vai mais longe

Você já parou para pensar no porquê das startups avançarem tão rapidamente em suas atividades e conquistarem o mercado de uma maneira tão acelerada? Boa parte desse êxito é fruto da correta gestão de mudanças. Inclusive, os processos dessas empresas são tão flexíveis que as mudanças são constantes, em um ciclo de identificação de melhorias, execução de testes, apuração dos resultados prévios e, finalmente, a implantação das mudanças.

Nesse processo é fundamental a adoção do empowerment, permitindo que os colaboradores atuem ativamente na implantação das mudanças, tomando decisões que são alinhadas com as determinações do planejamento. Isso resultará em melhor aproveitamento do tempo, permitindo que os líderes da gestão de mudanças possam se concentrar nas decisões de alta complexidade e que impactam diretamente nos resultados da organização.

Você está pronto para assumir as mudanças e transformá-las em uma fonte de crescimento do seu negócio? A Allo Consultoria Empresarial pode te acompanhar nesse processo contínuo e fundamental para que esteja sempre bem colocado no mercado! Fale com um dos nossos consultores agora mesmo e veja o quanto podemos ajudar o seu negócio!

Rafael Lima

Autor Rafael Lima

Administrador, atuação com foco em gestão, planejamento e finanças — CRA-RJ 20-88222. Fascinado pelo mundo empresarial, finanças e economia. Redator e produtor de conteúdo web da Allo Consultoria Empresarial.

Mais artigos de Rafael Lima

Deixe o seu comentário